Iperoense André Senna recebe titulo de Doutor

Educação 26 nov / 2015 às 10:33

No último dia 20 de novembro, nas dependências da Universidade Federal de São Carlos – Câmpus Sorocaba (UFSCAR), onde a pesquisa laboratorial e sua tese de mestrado foram desenvolvidas, o iperoense André Senna recebeu o título de Doutor em Engenharia de Materiais, pela renomada Universidade Federal de Ouro Preto  (UFOP – MG).

A tese de doutorado intitulada: “Síntese, caracterização e aplicação de hidrogel (EDTA) como substrato de liberação controlada  de Fertilizantes NPK e retenção de água em solo”  foi aprovada com louvor pela banca formada por cientistas renomados. 

“Ao todo foram 12 anos de muita luta, desafios e muita vontade de vencer! Estou muito feliz! A ficha ainda não caiu… Obrigado a todos que torceram por mim. Obrigado prof. Dr. Vagner Botaro pela parceria! Estou emocionado!”, declarou o novo doutor nas redes sociais.

Para o prefeito Vanderlei Polizeli, o iperoense é mais um motivo de orgulho para Iperó. “Fico feliz por ver um amigo conseguindo o título de doutor. Conheço a trajetória da vida do Senna e sei do esforço e dedicação para alcançar esse momento tão importante”. 

André Senna, é formado em Química pela ETEC Salles Gomes e, após 11 anos de dedicação ao estudo recebe agora o título de doutor. Decão, como é conhecido na cidade, é também o responsável por trazer para Iperó a ideia de adesão ao programa “Futuro Cientista” que é desenvolvido na rede municipal de ensino. 

“Procurei o prefeito em seu gabinete em 2013 para trazer o programa para as crianças de Iperó e, imediatamente, começamos a agilizar este convênio com a Universidade. Esse projeto possibilita encontrar novos talentos para a ciência. Isso é muito bom”, afirma Senna.

Entre os participantes da plateia, formada por estudantes, professores, familiares e amigos de Senna em sua defesa da tese; estava presente o secretário do Meio Rural, Ambiente e Turismo de Iperó que acredita na importância da tese como um novo paradigma na produção agrícola do país e do mundo. “Para se ter uma ideia, com esse novo gel criado através de celulose, além de liberar os nutrientes gradativamente reduzindo o consumo de insumos, reduz-se também em 50% o consumo de água na produção… Em tempos de crise hídrica isso é genial”.

A tese foi publicada em artigos científicos  internacionais como a revista ” Carbohydrate Polymers ” e pelo periódico científico “Journal of Environmental Chemical Engineering”.  A descoberta  já possui inclusive patente pelo INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial) .


Mais Notícias